Festa das Cavacas 2015

Dia 22 de março de 2015, no Pavilhão Multiusos de Caldas de Aregos

Cartaz da Festa das Cavacas 2015

PROGRAMA:

11h00 - Abertura oficial da Feira
              Visita aos postos de venda
              Animação Musical:
               - Grupo de Bombos da Associação Miomães em Movimento
               -  Rancho Folclórico de Santa Maria de Barrô

12h30 - Concurso "Melhores Cavacas da Festa das Cavacas" - 2ª edição
              Animação Musical:
               - Classe de Conjunto de Concertina e Acordeão da Academia de Música de Resende
               -  Rancho Danças e Cantares de S. Cipriano
               - Orquestra da Academia de Música de Resende

17h30 - Entrega de certificados de participação aos produtores

18h00 - Encerramento da Feira


Ligações fluviais com a Estação CP-Aregos gratuitas
Oferta de Experiência Termal nas Caldas de Aregos com marcação prévia -  254875259


 
Todos os anos o Pavilhão Multiusos de Caldas de Aregos é palco da Festa das Cavacas. Uma iniciativa do Município que pretende celebrar as suas afamadas cavacas com uma grande festa da doçaria tradicional e música popular, junto a uma das mais belas paisagens da margem sul do rio Douro.

Produtores do concelho reúnem-se no local, em stands de venda próprios, numa festa onde os visitantes têm a oportunidade única de recolher o resultado de séculos de receitas passadas de geração em geração e acompanhá-las com alguns dos vinhos dos produtores da região que também marcam presença nesta feira.

Esta iniciativa pretende valorizar um dos produtos mais tradicionais do concelho de Resende e de manifesta importância para o tecido económico local, atraindo visitantes para Caldas de Aregos e para a região.

 

Cavacas de Resende

Ò freguesinho, não vai meio arrátele? Olhe que são de Resende!”, era desta forma que as doceiras do concelho apregoavam, no século XIX, um dos doces regionais mais deliciosos e apreciados nesta região duriense: as Cavacas de Resende.

Este relato é referido num Jornal da época, que ainda salienta o seguinte: “Logo de manhã as doceiras estendiam sobre a toalha, toda franjada de rendas, vários doces muito cobertos de açúcar que despertavam a gulodice dos romeiros”.

Não havia quem resistisse àquele pregão e muito menos às Cavacas!

Nessa época, eram feitas em diversos locais do concelho, nomeadamente Felgueiras, Pimeirol, Vinhós, Lages e Corvo e eram vendidas nas feiras, festas e romarias.

Na Páscoa, este doce era oferecido como folar e no Natal, havia a tradição dos caseiros oferecerem cavacas aos patrões, colocadas em “condessas” (pequenas cestas), épocas do ano em que a procura aumentava e as doceiras “não tinham mãos a medir”, muitas vezes trabalhando dia e noite.

Hoje, as Cavacas encontram-se à venda durante todo o ano em quase todos os cafés, pastelarias e restaurantes do concelho e, como a sua confecção é aparentemente fácil, há muitas pessoas que as sabem confeccionar, não correndo o risco de esta tradição acabar.

Origem
Sobre a origem deste precioso doce não há registos, no entanto, existe uma lenda que defende o seguinte: na Idade Média, uma senhora que residia em Vinhós preparava a boda de casamento da sua filha e confeccionou o bolo de noiva, entretanto, o casamento teve de ser adiado devido a uma peste que estava a assolar o concelho e, dadas as parcas possibilidades económicas, a senhora viu-se obrigada a conservar o bolo até á data do casamento, pelo que retirou a parte de cima daquele e molhou a parte restante numa calda de açúcar que lhe restituiu a frescura e fez as delícias de todos os convidados.

Confecção
Esta delícia da doçaria tradicional, conhecida desde tempos imemoriais, ainda é feita, por regra, à moda antiga, mexida à mão e cozida nos fornos alimentados a lenha, tal como faziam no tempo dos nossos avós.

A Cavaca, que mede cerca de 5 cm de comprimento por 2,5 cm de largura e 2 cm de espessura necessita para a sua confecção de apenas três ingredientes: ovos, farinha e açúcar. A receita para 12 cavacas é a seguinte:

Ingredientes:
15 ovos (dos quais 8 inteiros e 7 gemas)
750 gramas de açúcar
280 gramas de farinha

Coloque os 8 ovos inteiros e as 7 gemas num alguidar e acrescente o açúcar batendo muito bem. De seguida vá juntando a farinha aos poucos mexendo sempre até envolver bem a massa. Polvilhe o tabuleiro com farinha e coloque a massa levando de seguida ao forno. Prepare a calda de açúcar em ponto de mel. Depois de pronta a massa retire do forno e corte em fatias. Molhe as fatias na calda e de seguida cubra cada fatia com a calda em ponto de pérola e farinha.

Segundo o método artesanal, a massa bate-se num aparelho movido à mão denominado “banco” (utensílio constituído por um alguidar dentro de um banco, ladeado por umas correias que batem a massa), devem utilizar-se ovos muito frescos e caseiros e a sua cozedura deve realizar-se no forno a lenha, numa apologia do que é tradicional é bom. Depois da cozedura, são cobertas com a calda já referida e o resultado são doces maravilhas, que acompanhadas por um cálice de vinho do Porto, fazem as delícias de muitos.

Mas, não se iludam os que tencionam confeccionar esta iguaria, pois, para além de a tradição ser um dos segredos do sucesso, há quem afirme que as Cavacas são um doce fino que só as mulheres de Resende o sabem fazer.