Cárquere

Junta de Freguesia

Presidente: Amadeu Vasconcelos

Cárquere
4660 CÁRQUERE

Telefone: 254 871 678

Website: http://carquere.jfreguesia.com/index.php

E-mail: jf.carquere@clix.pt

Santa Maria de Cárquere

Voltada toda a nordeste, esta freguesia é das primeiras a ser beijadas pelo sol no seu regresso do Oriente.
Mas o seu declive acentuado, desde as alturas do Carvoeiro a cerca de mil metros de altitude, até aos fundos do rio Corvo muito próximo de Pomelos, faz com que o mesmo sol, de Inverno, lhe diga adeus de novo e a fria sombra vespertina depressa estenda o seu manto gelado sobre as encostas humilhadas. 0 rio Corvo não limita totalmente a freguesia do lado nordeste. Já muito abaixo, Santa Maria de Cárquere entra em Resende sem licença nem favor e, no lugar da Granja, chega mesmo quase à vila.

0 reitor de Cárquere, que em 1758 respondeu às Inquirições Paroquiais, situava a freguesia do seguinte modo: “do Nascente ao Poente mede meia légua: principia no lugar dos Passos e acaba no da Quintã. Do Norte, principia no lugar de Corvo e finda na parte sul, no lugar que chamam a Granja de Rossas."
Frei Teodoro de Melo, nascido e criado no vizinho lugar do Enxertado, na Casa Grande do Outeiro, escreveu sobre o "Morro" de Cárquere, as palavras mais encomiosas que se podem imaginar:
"Este sítio, pela vista que dele se logra, e o mais delicioso de toda a terra porque, como toda ela é amena, fresca e de muitas águas, com os prados verdes e variedades de flores matizadas, os bosques frondosos, árvores muito várias e bem copadas, a toda aquela vista se fica predominante, é o mesmo que chegar qualquer pessoa àquela altura, que entrar-se-lhe todo aquele regalo pelos olhos."


O NOME DA FREGUESIA


0 topónimo "Cárquere" é muito discutido Pinho Leal supõe que vem da antiga palavra portuguesa "Carque"( carqueja) mas o Prof. Dr. Albino de Almeida Mates afirma que vem do genitivo "Cárcavi" que nas Inquirições já aparece Cárcari. "Villa Cárcãvi". Cárcãvus - era o nome de um antigo senhor romano.
Carcavelos (de Carcavelluos) é, segundo o mesmo professor, o diminutivo de "Cárcavus" e seria o nome porque era conhecida uma pequena vila rústica pertencente ao mesmo senhor e situada à beira do rio Corvo.

A explicação do referido professor, está de acordo com o que disse Frei Teodoro de Melo quando este afirmou que o nome de Cárquere, tal como o de Carcavelos, devia provir do nome do "estuário" de uma escultura de Diana, que ele próprio descreve no seu "Resende Ilustrado".
Há porém outras opiniões: Pedro Machado diz que é um nome muito antigo, talvez mesmo pré-romano; Batalha Gouveia diz que na formação do topónimo ha dois elementos lexicais egeu-anatólicos, Kar e Kher. Khar designaria a cor negra ou sombria e Kher seria o nome de uma deusa egeu-anatólica que nos tempos pré cristãos desempenhava a função de transportation de almas para o "Hades" onde iriam ser julgadas. Sendo assim, Cárquere seria a terra consagrada à "negra morte".

Diz o mesmo investigador que, por tal razão, com a chegada do cristianismo, o culto à deusa Kher foi substituído pelo culto a Nossa Senhora da Boa Morte e mais tarde a Santa Maria de Cárquere.

in "Resende e a sua História” - Volume 2: As Freguesias, da autoria de Joaquim Correia Duarte